Ilha de Paquetá

De WikiRio
Revisão de 20h59min de 23 de janeiro de 2014 por Djmib (Discussão | contribs)

(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

COMO CHEGAR | HOSPEDAGEM | ATRAÇÕES | PRAIAS | COMPRAS | BARES e RESTAURANTES | SEGURANÇA

Ilha de Paquetá

A ilha fica dentro da Baía de Guanabara.
O passeio de charrete é uma divertida maneira de conhecer a ilha.

A Ilha de Paquetá é um dos poucos lugares do Rio de Janeiro onde existe aquela tranqüilidade típica de cidade de interior. Em suas ruas de saibro e paralelepípedos, livres de poluição e barulho urbano, ainda é possível andar de charrete, escutando o barulhinho do mar e o canto dos passarinhos.

Por todos os lados a ilha oferece belezas a serem apreciadas, como as muitas casas que ainda conservam a arquitetura colonial, além de saguis, garças e árvores exóticas como o flamboyant e o baobá. Suas praias são tranquilas, perfeitas para crianças e, no fim de tarde, os namorados podem passear de pedalinho assistindo ao pôr-do-sol da Baía de Guanabara.

Atrações da ilha

Atrações turísticas

A viagem para a ilha, através de barcas, catamarãs e aerobarcos já é, por sí só, uma atração turística. Ao chegar lá, visite o quiosque da Paquetur (Horário: 06:30h às 17:30h) e pegue algumas dicas. O quiosque está localizado à direita da Praça Pintor Pedro Bruno.

  • Praça Pintor Pedro Bruno - A praça foi projetada pelo próprio Pedro Bruno e nela destacam-se várias de suas obras: projeto paisagístico, bebedouro de pedra, bancos e colunas para bougainvilles. O busto em bronze do pintor é obra do escultor Paulo Mazzuchelli. Curiosamente, a praça foi inaugurada antes da morte de Pedro Bruno e já levava seu nome, num raro reconhecimento da comunidade e autoridades a sua importância para a Ilha de Paquetá.
    • Localização: na saída da estação das barcas
  • Igreja do Senhor Bom Jesus do Monte - É a igreja matriz da paróquia de Paquetá. A construção original data de 1763, sendo a última grande reforma por volta de 1900, que preservou seu interior em estilo neo-gótico.
    • Localização: Praia dos Tamoios, 45
    • Horário de visitação: De segunda a domingo das 7:00 às 17:00
  • Praça Bom Jesus do Monte - A pracinha cívica da ilha, com seu estilo rústico e bastante arborizada. Nesta praça foi realizada, em 12 de setembro de 1904, a 1ª Festa da Árvore do Brasil, um marco ecológico na época.
    • Localização: à direita da saída das barcas
  • Caramanchão dos Tamoios - Outro raro exemplo do paisagismo de Pedro Bruno para Paquetá. Recanto especial que avança sobre o mar, onde são realizadas serestas e encontros cívicos.
    • Localização: Na Praia dos Tamoios, em frente ao nº 137
  • Canhão de Saudação a D. João VI - A peça fazia parte de uma bateria de canhões usada para saudar a chegada de D. João VI ao bairro a partir de 1808, quando o Príncipe Regente, que depois se tornou rei, passou a frequentar Paquetá, a Ilha dos Amores, como ele a chamava.
    • Localização: No meio da rua, na praia dos Tamoios, em frente ao nº 341
  • Árvore Maria Gorda - Um raro exemplo de baobá, de origem africana, com centenas de anos e medindo mais de sete metros de circunferência. A espécie é venerada na África e sua bela flor é usada em aplicações medicinais. A nossa Maria Gorda é tombada pelo Decreto Estadual "E" 1902 de 1967.
    • Localização: Praia dos Tamoios em frente ao nº 425
  • Parque dos Tamoios - Uma homenagem de Pedro Bruno aos índios Tamoyos, antigos ocupantes da Baía de Guanabara e de Paquetá. Neste Parque, ajardinado com pérgolas, encontra-se um monumento em homenagem a Carlos Gomes, frequentador de saraus na ilha.
    • Localização: Na praia dos Tamoios, por volta dos números 700/800
  • Preventório Rainha Dona Amélia - Bela e imensa chácara do início do século, hoje mantida pela Fundação Ataulfo de Paiva, funcionando com um semi-internato para crianças carentes ou de famílias problemáticas. São diversas construções ecléticas formando um belo acervo arquitetônico.
    • Localização: Praia do Catimbau, s/nº
    • Visitação: A instituição não é aberta para visitação regularmente e contatos para este fim devem ser feitos por telefone.
  • Chácara dos Coqueiros - A chácara ainda conserva suas características originais. Outra área diretamente envolvida nos conflitos da Revolta da Armada, tendo sido apropriada pelos revoltosos que ali estabeleceram seu hospital. A propriedade, no entanto, não foi destruída, tendo sido recuperada pelos proprietários, em estado de conservação após o término da revolta.
    • Localização: No final da Praia Pintor Castagneto
    • Visitação: Residência particular. Visitação externa.
  • Praça de São Roque - É a praça do padroeiro da Ilha de Paquetá, com diversos bens de importância cultural (listados a seguir). É também onde ocorre a tricentenária Festa de São Roque.
  • Escola Municipal Pedro Bruno - Um perfeito exemplo de arquitetura neo-clássica. O prédio também foi sede da Fazenda São Roque, uma das primeiras propriedades da ilha.
    • Localização: Rua Padre Juvenal, 74 - Praça de São Roque
    • Visitação: Basicamente externa, uma vez que funciona como uma escola.
  • Capela de São Roque - É a capela do padroeiro do bairro, construída em terras da Fazenda São Roque e inaugurada em 1698, quando a ilha ainda estava vinculada à Freguesia de Magé. Posteriormente, foi doada para a paróquia de Paquetá. Durante a Revolta da Armada, no final do século XIX, a capela foi usada como necrotério, tendo sofrido sua última grande reforma logo após este fato, no início do século seguinte. A construção abriga importante obra de Pedro Bruno sobre o altar: São Roque retratado em frente à sua capela, ao lado do Poço de São Roque.
    • Localização: Praça de São Roque
    • Visitação: A Capela só está aberta aos domingos para a missa semanal de 8:30.
  • Poço de São Roque - O poço foi aberto, inicialmente, para abastecer a Fazenda São Roque e, mais tarde, toda a região do Campo, pela fartura e qualidade de suas águas. E mais: conta-se também que os efeitos supostamente milagrosos das águas deste poço teriam curado uma úlcera na perna de D. João. O Príncipe Regente teria se tornado devoto de São Roque e frequentado regularmente a ilha e a Festa do Padroeiro. No início do século passado, com a chegada da água encanada à Paquetá, a Saúde Pública ordenou o fechamento do poço. Atualmente, a comunidade reivindica a sua reabertura, para manter vivas suas lendas e tradições.
    • Localização: Praça de São Roque
  • Coreto Renato Antunes - Coreto típico de pequenas cidades e vilas, onde são realizados eventos cívicos. Usado também nas festas de São Roque e São João, que acontecem tradicionalmente na praça. O coreto foi construído na administração do Dr. Marcelo Cardoso com recursos da própria comunidade e homenageia Renato Antunes, dedicado voluntário a festas e celebrações populares.
    • Localização: Praça de São Roque
  • Casa de Artes Paquetá - É o centro cultural de Paquetá, com promoção regular de eventos artísticos e culturais, com relevante acervo em exposição e Centro de Memória da ilha para consultas e pesquisas. Funciona também como um centro de recepção turística para grupos.
    • Localização: Praça de São Roque, 31
    • Telefone: (021)3397-0517 e (021) 3397-2124
    • Visitação: Diariamente de 10:00 às 17:00.
  • Solar D'El Rei - Quando D. João aportou em Paquetá pela primeira vez, ainda em 1808, para abrigar-se de um temporal, o melhor local para hospedá-lo era na propriedade de um mercador de escravos da época, o Brigadeiro Francisco Gonçalves da Fonseca. A residência recebeu D. João em diversas oportunidades, visto que o Príncipe Regente, e depois rei, se encantou pela Ilha dos Amores e passou a frequentá-la com regularidade. Em meados do século passado, a propriedade passou a ser chamada Solar Del Rei, em homenagem a esta passagem, e assim é conhecida até hoje. O imóvel foi tombado pelo IPHAN em 1937 e funciona como Biblioteca Popular de Paquetá.
    • Localização: Rua Príncipe Regente, 55
    • Visitação: Terça a sábado de 8:30 às 16:30
  • Ponte da Saudade - Ponte onde, de acordo com a lenda escrava, João Saudade, da nação Benguella, rezava diariamente para reencontrar sua família que ficara na África.
    • Localização: praia José Bonifácio, em frente ao nº 31, projetando-se sobre o mar.
  • Pedra dos Namorados - Diz a romântica lenda: atire três pedrinhas de costas, em direção ao topo da pedra. Se pelo menos uma não cair, com ela fica a certeza de um amor que é correspondido e eterno.
    • Localização: Na Praia José Bonifácio, em frente ao nº 31 (CEDAE), ao lado da Ponte da Saudade.
  • Casa de José Bonifácio - O Patriarca da Independência, José Bonifácio de Andrade e Silva, teria residido nesta propriedade de 1829 a 1831, antes de ser tutor dos filhos de D. Pedro I. A chácara é hoje uma residência particular e sua fachada pode ser apreciada da rua.
    • Localização: Praia José Bonifácio, 199
    • Visitação: Residência particular, visitação externa.
  • Parque Darke de Mattos - Com árvores centenárias, jardins, trilhas e mirantes, mar e matas, histórias e lendas, o Darke de Mattos é um extraordinário exemplo de parque romântico. Os jesuítas aqui se estabeleceram e o Morro da Cruz, com seus diversos túneis, retrata hoje a extração do caolim realizada na época para confecção de porcelana. O Mirante Boa Vista, no Morro da Cruz, é singular no seu acesso e na sua arquitetura em pedras e oferece uma vista panorâmica da Baía de Guanabara. Logo na entrada, existe uma área coberta para eventos cívico-culturais, com sanitários. O Parque dispõe ainda de brinquedos infantis, anfiteatros ao ar livre e heliponto, que permite suporte a atendimentos hospitalares que exijam remoção para hospital no Rio. É um parque romântico em seu paisagismo, oferecendo árvores centenárias, praias, bucólicos recantos, trilhas e mirantes. O principal mirante é o Morro da Cruz, com vista panorâmica da Baía de Guanabara. Os diversos túneis existentes no Morro da Cruz testemunham a presença dos jesuítas que extraíam caolim utilizado na fabricação de porcelana. A propriedade pertenceu à família Bhering de Mattos de 1976 quando foi desapropriado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e transformada em Parque Público.
    • Endereço: Entrada pelo portão localizado na esquina da praia José Bonifácio com a rua Luis de Andrade.
    • Visitação: Entrada franca – Diariamente, de 8h às 17h.
Atenção: NÃO É PERMITIDA A ENTRADA DE CHARRETES E BICICLETAS
  • Cemitério de Paquetá - Originalmente, os mortos da ilha eram enterrados no cemitério que existia nos fundos da Igreja do Senhor Bom Jesus do Monte, junto à rua Pinheiro Freire. Em meados do século XIX, foi inaugurado o Cemitério de Santo Antônio, o território de Paquetá. No início do século XX, Pedro Bruno foi oficialmente nomeado "Zelador Artístico do Cemitério", tornando-se, então, responsável pelo seu singular paisagismo, com destaque para a capela feita totalmente em pedras. O cemitério abriga o Mausoléu da Marinha, em homenagem aos seus mortos na Revolta da Armada.
    • Localização: Rua Manoel de Macedo, 135
  • Cemitério dos Pássaros - É o único que se conhece no mundo. Originalmente concebido por Pedro Bruno e Augusto Silva com o simbolismo do amor à natureza e aos pássaros. Destacam-se "O Pássaro Abatido" e o "Pouso do Pássaro Cansado", dois singelos monumentos. Hoje, o espaço é realmente usado pela comunidade para enterrar seus pássaros de estimação e várias pequenas covas podem ser observadas. O local é mantido com a ajuda dos moradores vizinhos a este recanto especial.
    • Localização: Rua Manoel de Macedo, ao lado do Cemitério de Paquetá.
    • Visitação: Permanente

<mediaplayer>http://www.youtube.com/watch?v=Xq_bL8HaspE</mediaplayer>
<mediaplayer>http://www.youtube.com/watch?v=EJxXVmeWzKA</mediaplayer>

Eventos

Não existe nenhum evento de grande escala em Paquetá, mas eventos menores podem ser consultados pela internet ou no quiosque turístico que fica ao lado da saída da estação das barcas Rua Furquim Werneck.

Praias

Paquetá fica numa parte praticamente despoluída por está próxima a Área de Proteção Ambiental (APA) de Guapimirim. Além disso, fica no canal profundo de navegação da baía que promove a constante renovação de suas águas. Estes fatos, aliados à nova Estação de Tratamento de Esgoto da ilha, construída como parte das obras do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara, foram suficientes para que a Feema considerasse suas praias boas para banho, que, por estarem dentro de uma baía, costumam ter águas calmas.

  • Praia dos Tamoios - Uma homenagem aos índios tamoios, antigos habitantes da Baía de Guanabara. A praia é usada basicamente por moradores e não tem infraestrutura de apoio turístico. Sua beleza se caracteriza pela grande quantidade de matacões dentro do mar.
  • Praia da Covanca - Não é uma praia adequada para banho, mas muito bonita e aconchegante, com matacões e barcos de pescadores.
  • Praia do Catimbau - A praia mais ao norte da ilha, com vista panorâmica da Área de Proteção Ambiental de Guapimirim e da Serra dos Órgãos. Ao fundo da Baía de Guanabara. É usada para banho basicamente pelos moradores.
  • Praia do Lameirão - Como o nome indica, é uma praia com muito lodo, não sendo ideal para banho. Muito usada para a pesca de siris.
  • Praia Pintor Castagneto (Praia dos Coqueiros) - Praia bastante usada pelos moradores do Campo, com muitas árvores e sombras e com barraquinhas de salgados e refrigerantes. Uma homenagem ao pintor que ali residiu em sua estada em Paquetá. O nome antigo e popular, Coqueiros, vem da grande quantidade da espécie nesta região da Ilha.
  • Praia de São Roque - Romântica e com o cenário da Praça de São Roque e seus atrativos, a praia é um recanto de pescadores, com seus barcos.
  • Praia da Moreninha (Praia Dr. Aristão) - Culturalmente, é a mais importante praia da ilha, com diversos segmentos de areia e matacões (incluindo a famosa Pedra da Moreninha) e a maior faixa de areia da Ilha. A extensão atual da praia é artificial, fruto de aterro realizado na década de 70. Em frente, apresentam-se a Ilha de Brocoió, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, e boa parte da Baía de Guanabara, acompanhada pela mata virgem do Morro de São Roque. Um restaurante e diversas barraquinhas abastecem os moradores e turistas que usam a praia.
  • Praia da Guarda (Praia José Bonifácio) - Uma homenagem ao Patriarca da Independência, que residiu numa casa ainda hoje existente nesta praia. O nome Praia da Guarda também é usado popularmente, em consequência da guarita que ali existia para proteção à residência de José Bonifácio de Andrada e Silva. É a praia com mais infraestrutura turística - cabines, restaurantes, bares, hotéis, barraquinhas, pedalinhos, caiaques, etc - e, desta forma, a mais frequentada pelos visitantes.
  • Praia Manoel Luiz (Praia dos Frades) - A praia mais ao sul da ilha, voltada para o Rio de Janeiro. Uma boa praia para banho, mais tradicionalmente usada pelos moradores. O nome popular Praia dos Frades foi dado em homenagem aos jesuítas que habitavam esta região de Paquetá séculos atrás.
  • Praia da Imbuca, Moema e Iracema - Ótimas praias para banho, com diversos segmentos de areia e matacões, formando um recanto belíssimo. É também uma das mais visitadas e preservadas da ilha.
  • Praia das Gaivotas (Praia da Mesbla) - Pequena e agradável, esta praia fica próxima à Colônia de Férias da União Mesbla, sendo usada basicamente por moradores.
  • Praia Grossa - Praia adjacente à estação das barcas, usada por moradores e visitantes. O nome é consequência da areia particularmente grossa nesta parte da ilha.

Mirantes

  • Mirante Morro da Cruz - Oferece um panorama parcial da ilha.
  • Pedra da Moreninha - Fina no final da Praia da Moreninha e seu acesso é por escada e ponte de madeira. É um belo e romântico mirante que foi imortalizado pelo romance A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo.
  • Morro de São Roque - Conta com várias trilhas pela mata, com ampla vista da Baía de Guanabara e da Ilha de Brocoió.

Passeios

Paquetá é um local seguro, arborizado e sem carros. Caminhar, ao som dos pássaros, pelas suas bucólicas ruas, praças e parques, observando a paisagem e a arquitetura de diversos estilos é, por si só, um passeio excelente. Pegue um mapa e caminhe livremente pela ilha, ou então tome um dos seguintes transportes que o local oferece:

  • Trenzinho - Para os moradores, é considerado como um "ônibus", com partidas programadas, de acordo com os horários de saída e chegada de barcas. A volta turística contorna praticamente toda a orla da ilha, passando pelos principais atrativos culturais. O passeio dura aproximadamente 50 minutos.
    • Ponto Final: Praça Pedro Bruno, em frente à estação das barcas
    • Preços: Ponto a ponto = R$ 2,35. Ida e Volta = R$ 3,50. Volta turística = R$ 5,00.
  • Charrete - A charrete é o transporte mais tradicional e o passeio passa pelos principais pontos da ilha, com paradas para fotos. Para a comunidade, é uma espécie de táxi.
    • Ponto Final: Ao longo da orla, entre o caramanchão dos Tamoios e a estação das barcas.
    • Preços: Ida ou volta = R$ 15,00. Volta turística (45 minutos) = R$ 50,00. Volta turística pela orla (60 minutos) = R$ 70,00.
    • Capacidade - 5 adultos ou 4 adultos e 2 crianças (até 5 anos).
  • Bicicleta Táxi (EcoTaxi)
    • Pontos: Ao longo da Rua Furquim Werneck.
    • Preços: Corrida simples = R$ 3,50 (1 pessoa) e R$ 6,00 (2 pessoas). Após a meia noite = R$ 6,00 por pessoa. Para buscar = R$ 6,00. Passeio (45 minutos) = R$ 25,00
  • Bicicleta
    • Pontos de aluguel: Rua Furquim Werneck, Rua Pinheiro Freire, Praia dos Tamoios.
    • Preços: Existem diversos modelos e os preços são a partir de R$ 3,00 por hora.
  • Caiaque, Pedalinho e Canoa - Românticos passeios na enseada da Praia José Bonifácio.
    • Pontos de aluguel: Ao longo da Praia José Bonifácio.
    • Preços: Existem diversos modelos e os preços são a partir de R$ 10,00 para duas pessoas (40 minutos).

Comer e beber

  • Quiosque do Sereno - Ponto de reunião de compositores, sambistas, moradores e turistas, lá você encontra salgados, peixe frito na hora e, claro, cerveja bem gelada.
    • Endereço: Praia da Imbuca.
    • Horário: Abre aos sábados, domingos e feriados.
  • Botequim do Eudulcio - Bom para beliscar um salgado, tomar uma gelada ou curtir uma bebida quete.
  • Barraca da Glória - Na praia dos Coqueiros encontramos a barraca do Luizão e da Glória, figura popular em Paquetá que com sua alegria cativa a todos que curtem um bom tira-gosto e a famosa cerveja bem gelada do final de semana.
  • Botequim da Carminha (Bar Miramar) - O saboroso "feijão amigo", campeão da casa, é servido num ambiente familiar.
    • Endereço: Rua Domingos Olimpio, 14 - Praia Grossa
  • Cantina do Fernando - Serve um cardápio variado que vai desde frutos do mar até pizzas. É um ambiente familiar e fica a um minuto das barcas.
    • Endereço: Rua Furquim Werneck, 70
  • Boteco do Manoel - Lá você vai encontrar costela de porco, aipim, jiló, pedaços de frango, linquiça, carne assada, e várias outras iguarias. Possui ainda um restaurante anexo onde é servida comida caseira.
    • Endereço: Esquinas das ruas Furquim Werneck e Pinheiro Freire

Quanto ir

É possível visitar a ilha em qualquer época do ano. Nos períodos de alta temporada, porém, o número de pessoas na ilha salta de 4.500 (habitantes fixos) para mais de 10.000. Nos domingos e feriados as barcas costumam ficar cheias e as praias lotadas. Para melhor aproveitar Paquetá é recomendável ir em um dia de semana.

Onde se hospedar

  • Hotel Palace
    • Endereço: Rua Adelaide Alambari, 314 – Ilha de Paquetá
    • Telefone: (021) 3397-0464 e (21) 3397-0994
  • Pensão Meu Cantinho Ltda.
    • Endereço: Rua Dr. Lacerda, 63 - Ilha de Paquetá
    • Telefone: (021) 3397-0405
  • Pousada Recanto de São Roque
    • Endereço: Praça de São Roque, 1 – Ilha de Paquetá
    • Telefone: (021) 3397-0317
    • E-mail: [email protected]

Onde fica

A ilha fica no meio da Baía de Guanabara, a aproximadamente quinze quilômetros da Praça XV, no Centro do Rio de Janeiro.

Como Chegar

HORÁRIO DAS BARCAS: Consultar no link www.ilha.pqt.com.br/horariodasbarcas

Como chegar a Ilha de Paquetá

Como chegar à Ilha de Paquetá a partir da Rodoviária Novo Rio

Como chegar à Ilha de Paquetá a partir do Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim

Como chegar à Ilha de Paquetá a partir do Aeroporto Santos Dumont


Como chegar à Ilha de Paquetá a partir de Niterói

Carregando mapa...

Informações Importantes

  • Hospital (Unidade Integrada De Saúde Manoel Arthur Villaboim)

O Hospital de Paquetá é uma Unidade Integrada de Saúde que resultou da interação, em 1979, do antigo Centro Médico Sanitário Bichat de Almeida Rodrigues (fundado em 1970), com o Hospital Dispensário Manoel Arthur Villaboim (fundado em 1933).

Assim, conjugaram-se o Setor de Emergência, que funciona 24 horas por dia, e os Ambulatórios, que funcionam diariamente, das 9 às 12 horas e das 13 às 16 horas, para atendimento ginecológico agendado nas especialidades de Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Puericultura, Clinica Médica, Fisiatria, Fisioterapia, Saúde Mental, Nutrição e Dietética, Odontologia e Saúde Pública/Epidemiologia (vacinas e Programas de Hipertensão Arterial, Diabetes, Tuberculose e DST).

O Hospital conta, ainda, com um serviço de RX, que funciona 24 horas, e de um Laboratório, que atende de 2ª feira à Sábado, das 9:00 às 15:00 horas.

O Setor de Pronto Socorro, com 10 leitos atende, especificamente, aos casos de Emergência Clínica e de pequenos atos cirúrgicos, não estando estruturado para o atendimento de grandes cirurgias ou de trabalhos de parto que não sejam exclusivamente "normais",casos estes que são removidos para o Continente, para os grandes Hospitais da Rede Municipal de Saúde, por helicóptero, quer de dia, quer de noite.

O setor de Odontologia também funciona 24 horas, atendendo casos de emergência e de rotina.

O Hospital de Paquetá conta, também, com o serviço de uma ambulância para atendimento dos casos ocorridos em via pública e dos chamados casos domiciliares, além de servir, também, para o transporte de pacientes crônicos que, impossibilitados de locomoção, careçam de tratamento fisioterápico na UISMAV.

  • Polícia Militar – DPO - Destacamento de Policiamento Ostensivo (Órgão vinculado ao 17º Batalhão de Polícia Militar)
    • Endereço: Rua Comendador Lage, 44- CEP: 20396-010
    • Telefone: 3397 0300
  • Polícia Civil (Unidade vinculada à 3ª Delegacia de Polícia, na Praça Mauá)
    • Endereço: Rua Comendador Lage, 44 - CEP: 20396-010
    • Telefone: (021) 3397 0250 / 3397 0302
  • Banco Itaú - Banco com caixa eletrônico, que funciona no horário de expediente bancário.
    • Endereço: Rua Furquim Werneck, 115
    • Telefone: (021) 3397-0459
      • ATENÇÃO: Paquetá não dispõe de caixa 24 horas.
  • Câmbio - Não existem casas de câmbio funcionando no momento na Ilha.
  • Celular - Tanto a Vivo como a Claro operam na Ilha com razoável qualidade de recepção.
  • Correios
    • Horário de Funcionamento: Segunda a sexta-feira no horário 9:00h às 17:00h, fechando para o almoço de 13:00h às 14:00h.
    • Endereço: Rua Dr. Lacerda, 19
    • Telefone: (021) 3397-0088
  • Corpo de Bombeiros (Unidade do 21º Grupamento Marítimo)
    • Endereço: Praia da Moreninha, s/nº ou Travessa Dona Polucena, s/nº
    • Telefone: (021) 3397-0300
  • Farmácia - Entregas à domicílio, encomenda de remédios, revelação e ampliação de fotos. Aceita cartões de crédito.
    • Horário de Funcionamento: Segunda a sábado, das 8:00h às 20:30h - Domingos e feriados das 8:00h às 19:00h
    • Endereço: Rua Furquim Werneck, 31 B
    • Telefone: (021) 3397-0082

Ligações Externas

  • Consultar o verbete Ilha de Paquetá no Wikipedia para saber mais sobre a história do local.

Não encontrou a informação que procura?
Nos envie sua dúvida e lhe responderemos o mais rapidamente possível. E você ainda estará nos ajudando a tornar o WikiRio ainda mais completo.

Entre em contato com o WikiRio


ATENÇÃO: AS INFORMAÇÕES AQUI CONTIDAS SÃO FRUTO DO ESFORÇO DOS COLABORADORES DO SITE E OS DADOS ORA DISPONIBILIZADOS, PODEM CONTER INCONSISTÊNCIA OU DESATUALIZAÇÃO. O WIKIRIO RECOMENDA QUE SE FAÇAM CONSULTAS EM OUTROS MEIOS COM O INTUITO DE CERTIFICAR-SE DAS INFORMAÇÕES SUPRACITADAS.
Para saber mais sobre nossa política de conteúdo, clique aqui.