Saco do Mamanguá

Banner-Cajaiba.jpg

SACO DO MAMANGUÁ
COMO CHEGAR   •   PRAIAS   •   BARES   •   RESTAURANTES   •   ATRAÇÕES   •   HOSPEDAGEM

Ver também: Paraty e Pouso da Cajaíba
Saco do Mamanguá.
Mapa das principais refrências de Mamanguá

Fiorde tropical

Entre o Rio e São Paulo existe um braço de mar que avança por 8 Km continente adentro até chegar ao mais bem preservado manguezal da Baía da Ilha Grande. Cercado por montanhas cobertas de Mata Atlântica, o Saco do Mamanguá, é o único lugar do Brasil com formação similar à dos fiordes, depressões geológicas comuns nos países escandinavos. A incrível paisagem da região engloba duas ilhas, 33 prainhas, dezenas de riachos e um manguezal.

Fiorde é uma grande entrada do mar cercada por altas montanhas rochosas. Os fiordes, que têm origem na erosão das montanhas devido ao gelo, estão presentes, em sua maioria, na costa oeste da península escandinava onde são um dos elementos geológicos mais emblemáticos da paisagem.
O termo certo para definir o Saco do Mamanguá é ria, que é um acidente geomorfológico que se apresenta como um vale fluvial entorno à foz de um rio, em que um vale costeiro permanece submerso sob as águas. A ria é um braço de mar que adentra na costa e que está submetido à ação das marés.

O local é uma área de preservação ambiental onde muitos ricos e famosos dividem espaço com uma comunidade tradicional de caiçaras, povo resultante da miscigenação de índios, portugueses e europeus, que data da colonização. O cenário é composto pelo tom esverdeado do mar que se encontra com as montanhas repletas de árvores.

A preservação do local é fruto dos esforços de ambientalistas e caiçaras em impedir a devastação. O Saco de Mamanguá não conta com energia elétrica e, ao cair da noite, a iluminação se dá por velas e lampiões.

Está prevista a chegada de luz elétrica para 2015


O que levar

  • Repelente - Leve de casa pois não há farmácia no local. Caso seja alérgico a picadas de insetos leve um antialérgico, como por exemplo, Polaramine.
  • Protetor solar - Leve de casa pois não há farmácia no local.
  • Tênis para trilhas - As principais atrações são feitas por trilhas, portanto um bom calçado é fundamental. Caso vá fazer as trilhas mais longas, é recomendável usar perneiras para se proteger de picadas de cobra.
  • Maquina fotográfica - O lugar é muito bonito e merece ser fotografado.
  • Lona - Para se proteger da chuva caso vá acampar.
  • Sacos plásticos - Para embrulhar os pertences pessoais para não molharem, visto que a chegada à praia é feita em botes e canoas que muitas vezes podem estar molhadas.
  • Dinheiro - A falta de rede elétrica e de telefonia inviabiliza o uso de cartões. Também não existem caixas 24 horas. Cheques também não são aceitos na maioria das vezes.
  • Remédios - Caso faça uso de algum medicamento, leve em sua bagagem, visto que no local não existe farmácia.
  • Roupa de cama - Nem sempre as casas de moradores oferecem roupa de cama adequada, por isso levar bons lençóis e fronhas é uma maneira simples de ter uma noite bem mais confortável.
  • Tábua de Marés - Imprima a tábua de marés e consulte para poder aproveitar as várias praias que aparecem quando a maré estiver baixa. Tábua de marés do site Clima Tempo

Quando ir

  • Verão - É quente e chove bastante. São comuns pancadas rápidas de chuva a meio da tarde. Temperaturas: Entre 23° e 38° C.
  • Inverno - Chove menos, porém, quando a chuva chega, costuma ficar durante alguns dias. A temperatura desce um pouco, mas nada que uma blusa leve não proteja. Temperaturas amenas, entre os 12° e os 27° C.
  • Alta estação - Entre natal e Reveillon e no período do carnaval o preço das hospedagens aumenta consideravelmente e o local recebe muitos turistas, tirando um pouco o encanto do passeio.


O que fazer no local

  • Vida marinha - Na região podem ser vistos tartarugas, peixes, cavalos marinhos e golfinhos. O mais surpreendente, porém, são os plânctons que só pode ser visto à noite, na completa ausência de luz. Eles são minúsculos seres que, quando agitados, brilham como vaga-lumes, oferecendo um espetáculo visto apenas em águas quentes de locais muito bem preservados.
  • Morro Pão de Açúcar – Este morro, que leva o mesmo nome do famoso ponto turístico da capital, oferece uma excelente vista panorâmica da região.
  • Trilhas - Dá para caminhar até Paraty, que fica a várias horas de distância, ou fazer passeios mais curtos pelas trilhas usadas pelos moradores do Saco do Mamanguá.
  • Canoagem - Vários dos atrativos da região só podem ser alcançados por mar. Por conta disso e também das calmas águas da região, fazer passeio de canoa é uma ótima pedida. É possível passear de caiaque pelo rio Cairuçu, localizado no fundo do Saco do Mamanguá. Na medida em que navega pelo rio, a paisagem vai mudando de mangue para floresta. O ponto alto do passeio é um mergulho na cachoeira, que na verdade é uma piscina natural de água transparente, localizada a dez minutos de caminhada após navegar com o caiaque por vinte minutos até o fim do rio, que é limitado por pedras.
  • Cultura Caiçara - Aula de artesanato com artesão local
  • Mergulho - Saídas organizadas para mergulho com ou sem locação de equipamentos, passeios de barco pelas ilhas, praias e cachoeiras da região. Alguns guias são bilíngües.
  • Stand Up Paddle - As águas calmas da região são excepcionais para a prática de SUP.
  • Casa de farinha -
  • Pesca artesanal -

Praias

São 33 praias, sendo que muitas delas desaparecem com a maré alta.

Comer e beber

Alguns preços em dezembro de 2014

Item Preço
Barco Paraty—Calhaus R$
Barco Paraty-Mirim-Praia do Cruzeiro R$60
Lancha Paraty-Mirim-Praia do Cruzeiro R$100
Camping - Praia do Cruzeiro R$25
PF de peixe R$25
Porção de lula R$40
Cerveja Itaipava lata R$5
Garrafa de Água 500ml R$5
Tabuleiro de gelo R$
Estacionamento em Paraty-Mirim R$10
Estacionamento em Paraty R$

Casas dos caiçaras

Alguns moradores locais oferecem deliciosas refeições.

  • Restaurante do Maneco Icone-Like.gif - Está localizado na Praia do Cruzeiro e serve comida caseira. As refeições tem preços semelhantes ao Restaurante do Orlando, mas são bem mais saborosas. As caipirinhas são feitas com a ótima cachaça Coqueiro, de Paraty.
    • Telefone: (24) 99961-9107
  • Restaurante do Orlando e Maria - Este restaurante fica na Praia do Cruzeiro, onde inicia-se a trilha para o Pão de Açúcar. Antes de fazer a trilha é possível encomendar o almoço. O estabelecimento não vende bebida alcoólica. O Orlando possui uma embarcação para buscar clientes na Praia de Paraty-Mirim.
    • Telefone: (24) 99916-3532
  • Restaurante do Zizinho - Fica na comunidade Ponta do Leão é possui um píer para acesso por embarcações.
    • Telefone: (24) 99907-6045
  • Restaurante do Dadico (Bar das Ostras) Icone-Like.gif - Fica em costeira, ao lado de uma pequena praia. A isca de Vermelho é uma boa pedida.
    • Telefone: (24) 99818-9524
  • Restaurante da Dona Gracinha e Juray - Serve comida caseira no fogão à lenha e tem acesso apenas por trilha e é uma opção para quem está fazendo as trilhas entre Laranjeiras e Paraty-Mirim ou passeando de caiaque.
    • Telefone: (24) 99832-9204
DICA: Procure saber que peixe será servido no PF e recuse o Congo Rosa, um peixe de consistência gosmenta e sabor que deixa a desejar. Vermelho, Robalo e Pescado são boas pedidas.


Leve sua própria comida

Caso você não esteja hospedado nas sofisticadas e caras pousadas da região que servem uma variada gama de alimentos, recomendamos que traga sua comida de casa. Abaixo damos algumas dicas com base na experiência de nossos colaboradores:

  • Café da manhã - As opções de café da manhã são restritas e de baixa qualidade, resumindo-se muitas vezes a café, leite, pão branco e margarina. Caso você não dispense um bom café da manhã recomendamos levar frutas, bons pães e alimentos que não exijam refrigeração.
  • Lanche - O local é muito extenso e nem sempre é possível encontrar um restaurante por perto, por isso recomenda-se levar biscoitos, barras de cereal e água para as trilhas e os passeios.
  • Almoço e jantar - No período do almoço todos os restaurantes costumam estar abertos, mas à noite muitos fecham. As refeições se resumem a pratos com arroz, feijão, alface, tomate e peixe, além de petiscos, também à base de peixe. É possível levar verduras e legumes e pedir para ser preparado. Frango e carne vermelha é coisa raríssima no Saco do Mamanguá.
  • Bebidas - O anoitecer começa cedo em Mamanguá e sentar na praia e observar o céu estrelado, enquanto toma-se um vinho, é a melhor maneira de terminar o dia. Leve sua própria bebida, pois lá não tem para vender.

      {{#widget:Iframe |url=http://www.nativaflores.com.br/CaixaPesquisaBooking2.html |width=500 |height=350 |border=0 |align=center }}

Onde se hospedar

A Praia do Cruzeiro é o ponto mais estratégico para se hospedar visto que está bem no meio do Saco do Mamanguá, em uma vila com 2 restaurantes, várias casas de moradores para alugar e diversos barqueiros que podem ser contratados para fazer passeios ou traslados para Paraty, Parati-Mirim e Pouso da Cajaíba. Além disso a trilha que leva para o morro do Pão de Açúcar parte dali.

Caso opte por se hospedar em outra parte, evite o final do Saco do Mamanguá que, por ser área de mangue, tem grande quantidade de mosquitos.

Camping

  • Camping do Orlando - Muito bem localizado ao lado do Restaurante do Orlando, na Praia do Cruzeiro. Conta com chuveiro e ampla área protegida do sol pelas árvores.

Hostel

Não existe albergue no local.

Casas de moradores

  • Casa do Denilson Icone-Like.gif - Casa de dois andares, que pode ser alugada inteira ou só o primeiro andar. Fica muito bem localizada na Praia do Cruzeiro, a poucos passos do mar. Não tem ar condicionado mas mesmo no verão é fresco. Tem chuveiro a gás.
    • Preço: R$50 por pessoa (preço coletado em dezembro de 2014)
    • Telefone: (24) 99838-8201
  • Casa com Quatro Dormitórios, sendo 2 Suítes - Localizado em Mamanguá
  • Casa com Três Dormitórios, sendo 1 suíte - Localizado em Mamanguá

Contatos para aluguel de casas

  • Japão - Tel: (24) 99946 8392
  • Elza e Chico - Tel: (24) 99971 9029

Turístico

  • Refúgio Mamanguá - Casas e chalés para alugar
    • Telefone: (24) 3371-1951 e (24) 99956-9995
  • Chalés da Lenira - Localizado na Praia Grande
    • Telefone: (11) 3675-6630 | (11) 6190-2324

Luxo

Onde fica

Saco do Mamanguá fica na Costa Verde do estado, ao sul de Paraty. Fica a 263 km do Rio de Janeiro, 306 km de São Paulo e 559 km de Belo Horizonte.

Como Chegar

Apesar da proximidade com Paraty, chegar até o Saco de Mamanguá não é fácil. É preciso dirigir por um estrada de terra sem iluminação e depois pegar um barco que corta a imensa Baía de Ilha Grande.
  • Por Trilha - Chega-se ao Saco do Mamanguá por trilhas que partem de Laranjeiras e de Paraty-Mirim.
  • De ônibus - De Paraty pegar um ônibus para Paraty-Mirim, saltar no ponto final e pegar um barco para Saco do Mamanguá, que faz o percurso de 45 minutos..
  • De carro - Seguir pela BR-101 (Rodovia Rio-Santos), entrar em Paraty Mirim, no km 581, e pegar uma estrada de terra por mais 7 km, até a praia. Estacionar o carro (pode estacionar no Camping do Jesus, que cobra por dia) e pegar o barco, que faz um percurso de 45 minutos.
  • Como transitar pelo local - No Saco de Mamanguá tudo é feito a pé, por trilhas, ou pelo mar, utilizando barco ou canoa.
Compra consciente
Ajude a manter a praia limpa
- Leve um saco para jogar latas, canudos, copos usados e outros tipos de lixo orgânico.
- Descarte seu lixo em local adequado. Normalmente, a cada 50 metros de areia, há uma lixeira.
- Não utilize o vaso sanitário como lixeira. Os lixos acabam sendo descartados pela rede de esgoto, ficam depositadas no fundo do mar e voltam para a areia em dias de ressaca.
- Descartar lixo no mar (sacos plásticos, restos de alimentos, garrafas pet) prejudica a vida marinha e a qualidade da água.
- Não leve cães para praia. É proibida a presença de animais na areia das praias.

Como chegar de barco

Alguns barqueiros fazer a travessia de Paraty-Mirim a Saco do Mamanguá

  • Barco do Denilson - Tel: (24) 99838-8201 (Faz o trajeto em 10 minutos - R$100)
  • Barco Akipesca - Tel: (24) 99916-3532
  • Barco Leonardo - Tel: (24) 99825-6814 / (24) 99944-1281 / (24) 99825-6812
  • Barco Denise - Tel: (24) 99901-1091 / (24) 99901-1891
  • Barco Pequena Baleeira - Tel: (24) 99997-5734
  • Barco: traineira - Tel: (24) 99841-6459 / 99954-2229
  • Barco do Licínio ou Valdemir - Tel: (24) 99916-7028 / (24) 99993-6201
  • Barco do Dico - Tel: (24) 99819-8487 | 99989-8852
  • Barco do Ney, Nerildo ou Valdeir - Tel: (24) 99822-2502 / 99858-4853
  • Barco do Zélio - Tel: (24) 99904-4642 / 99925-8494
  • Barco do Ozeia - Tel: (24) 99913-5261
  • Barco do Renato - Tel: (24) 99941-8894 / 99217-7901
  • Barco do Ary - Tel: (24) 99901-1760
  • Barco do Valdir - Tel: (24) 99906-8114 / (24) 99995-7866
  • Barco do Aristides - Tel: (24) 99901-1760 / (24) 99814-4744
  • Barco do Rogério - Tel: (24) 99969-4370 / 99825-4941
  • Barco do Luis - Tel: (24) 99822-4164 / 99841-3067
  • Barco do Zé - Tel: (24) 99947-5292
  • Barco do Mooca ou Valmore - Tel: (24) 99272-5165 / 99953-2091

Mapa

Carregando mapa...

Ligações Externas