Sandbox: Resumos de Pontos Turísticos

De WikiRio
Revisão de 14h32min de 12 de novembro de 2012 por Edgard (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

Academia Brasileira das Letras

Cópia do Petit Trianon de Paris, foi construída para abrigar o pavilhão de França na Exposição Internacional do Centenário da Independência do Brasil. No anexo, funciona o Espaço Cultural Machado de Assis, com objectos do escritor – um dos fundadores da academia. Possui também uma biblioteca com 90 mil volumes. Há visitas guiadas gratuitas às segundas, quartas e sextas-feiras, às 14h e às 16h. A biblioteca funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, e o Espaço Cultural Machado de Assis, das 13h às 18h. Fica na Avenida Presidente Wilson, 203, bairro Centro. Informações: +55 (21) 3974-2500.

Aterro do Flamengo (Parque Brigadeiro Eduardo Gomes)

Com os seus 1.200.000 m² de área verde à beira-mar, o Aterro do Flamengo é resultado de um dos mais belos e importantes projectos paisagísticos do artista Roberto Burle Marx. Do Aeroporto Santos Dumont à Enseada de Botafogo, o Parque oferece as mais diversas atracções. Tem quadras de desporto, ciclovia, pista de cooper e campo de aeromodelismo. A pista da Av. Infante D. Henrique, no sentido Zona Sul-Centro, é fechada ao tráfego de veículos aos domingos e feriados, das 7h às 18h, aumentando ainda mais a área de circulação e lazer do Parque.


O Parque Brigadeiro Eduardo Gomes, conhecido como Aterro do Flamengo, possui 1.200.000m² de área verde à beira-mar,com arbustos floridos, uma profusão de árvores, compondo uma das mais visitadas e belas áreas de lazer da cidade.

Do Aeroporto Santos Dumont a Enseada de Botafogo, o parque oferece as mais diversas atrações.

Farol da Ilha Rasa O farol indica uma das ilhas existentes próximo à entrada da Baía da Guanabara. Inaugurado em 31 de julho de 1829, o Farol da Ilha Rosa é um dos lugares mais procurados para mergulho no Rio de Janeiro. A ilha apresenta costões, lajes e grutas.


Parque Nacional da Tijuca O Parque Nacional da Tijuca além de ser um climatizador e grande reservatório de água potável para a cidade, ainda proporciona uma fantástica área de lazer para a população e turístas.

Com 33Km² de área, 60 km de perímetro, 80 km de estradas asfaltadas, é formado pelo Setor Floresta da Tijuca (A), Setor Paineiras/Corcovado (B) e Setor Pedra da Gávea/Pedra Bonita (C), possuindo, ainda, mais de 900 espécieis de plantas e 230 de animais.

Parque Estadual da Pedra Branca

Mesa do Imperador A mesa de D.Pedro I

Próxima à Vista Chinesa, um agradável recanto abriga uma mesa em concreto, no centro de duas palmeiras. Foi nessa mesa que D. Pedro I, quando desejava uma refeição em meio a uma das mais belas vistas, saía de sua residência na Quinta da Boa Vista e, com sua charrete, seguia em direção à Estrada da Vista Chinesa.

Numa altitude de 487 m, a Mesa do Imperador situa-se diante de uma deslumbrante vista da cidade, contracenando urbanização e natureza. Escadas que cercam o parapeito da área levam o turista até a beira de uma rampa em concreto, fazendo com que o turista se sinta no meio de um cenário esplêndido.

Mirante Dona Marta Vistas panorâmicas da cidade do Rio de Janeiro são propiciadas não apenas por vôos de helicópteros, mas também pelos mais diversos mirantes. Pão de Açúcar e Cristo Redentor sem dúvida são os mais famosos pontos turísticos que permitem as mais belas vistas da cidade. Contudo, o mesmo esplendor está à disposição dos que visitam o mirante Dona Marta. Na Estrada do Corcovado, há uma discreta passagem pela qual se acessa mais uma das muitas opções de turismo no Rio de Janeiro.

Cercadas pela vegetação do Parque Nacional da Tijuca, as escadas que levam até o mirante convidam os visitantes a apreciarem toda a beleza vegetal da área. Iniciando o caminho, uma mata de bambus esconde micos e instigam a curiosidade dos visitantes com os constantes ruídos de animais atravessando o matagal.

Chegando ao parapeito, a sensação é indescritível. De um lado, o Cristo deslumbra sua grandeza, num pedestal privilegiado: o morro do Corcovado. Ao redor, a Baía de Guanabara contracena com a urbanização carioca. Isso sem falar no Pão de Açúcar e na Lagoa Rodrigo de Freitas, outras peculiaridades da cidade.

Próximo ao mirante, está localizado um heliporto, onde são oferecidos vôos a partir de R$150 por pessoa. Contudo, os mais acanhados, que preferem terra firme, não se decepcionarão. As vistas proporcionadas pelo Mirante Dona Marta são suficientes para contemplar um verdadeiro quadro carioca, fora das molduras.


Pedra Bonita Local das decolagens de asa deltas e parapentes, a montanha chamada Pedra Bonita é coberta por vegetação densa e proporciona linda vista para o mar. Os vôos geralmente duram entre 15 e 45 minutos, dependendo das condições do vento. No trajeto, é possível observa a Pedra da Gávea, o Morro dos Dois Irmãos, o Corcovado, além de boa parte da orla marítima.

Rio Paraibuna Com corredeiras selvagens, o rio Paraibuna é o preferido dos praticantes de rafting no Rio de Janeiro. São aproximadamente 23 quilômetros de extensão, percorridos entre três e quatro horas. O percurso é cercado pela floresta ciliar, típica das margens ribeirinhas da região. As quedas podem variar entre três e cinco metros de altura, dependendo da vazão do rio.

Igreja Nossa Senhora da Candelária Localizada no centro financeiro da cidade, numa área rica em espaços culturais, a Igreja da Candelária impressiona pela sua imponência. Construída no século XVIII, tem planta em cruz latina, revestimento interior em mármore, fachada em cantaria, portas trabalhadas em bronze e toda a sua história pintada nos murais no interior. É uma das mais belas igrejas de todo o Rio de Janeiro. Fica na Praça Pio X, bairro Centro. Funciona diariamente: de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h, aos sábados, das 9h às 12h e aos domingos, das 9h às 13h. Informações: +55 (21) 2233-2324.

Igreja São Francisco das Penitências Construída entre 1657 e 1772, é um dos mais belos exemplos da arte barroca no Brasil. Protegida em 1938 e restaurada em 2001, a igreja exibe várias criações de Francisco Xavier de Brito, artista português que influenciou o trabalho de Aleijadinho – o mais famoso artista mineiro da época. O acesso à igreja é feito por elevador ou escada, a partir do Largo da Carioca, ao lado do Convento Sto. António. Está aberta para visitas de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 16h. Oferece visitas guiadas. Informações: +55 (21) 2262-0197.


Mosteiro de São Bento As obras da Igreja de Nossa Senhora de Montserrat e do Mosteiro de São Bento foram iniciadas em 1617, estendendo-se até 1669. Entretanto, um século depois, ainda foram realizadas muitas reformas com o objectivo de ampliar e restaurar as suas instalações.

Hoje - considerado Monumento Mundial pela Unesco - o Mosteiro impressiona pelos contrastes do estilo austero da sua fachada, com frontão triangular e o intricado trabalho da talha dourada do interior de sua igreja.

Os trabalhos de pintura, as obras de arte, a concepção das capelas, o tecto da nave - remanescente do século XVIII - e o coral de canto gregoriano fazem com que o Mosteiro de São Bento encante a todos aqueles que o visitam. Fica na Rua D. Geraldo, 68 e a entrada de pedestres é feita pelo elevador número 40, bairro Centro. O Mosteiro abre todos os dias: de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 14h às 18h; aos sábados e domingos, a partir das 11h. Informações: +55 (21) 2291-7122.

Quinta da Boa Vista O parque faz parte do Solar da Boa Vista, residência real e dos imperadores do Brasil de 1822 e 1889 - quando foi proclamada a República. Possui uma área de 155 mil metros quadrados, ajardinada em 1869, com projecto do paisagista francês Auguste Glaziou. Ao entrar pelos portões laterais, o visitante percorre a Alameda das Sapucaias e o traçado romântico, que ainda conta com lagos, grutas e recantos nos seus jardins imperiais. Os amplos jardins abrigam o Museu Nacional e o Zoológico da cidade, além de parques de diversões, quadras, locais para piqueniques e restaurantes. Há passeios monitorizados e oficina de jardinagem gratuita aos fins de semana. Situada em São Cristóvão, abre diariamente, das 7h às 18h. Informações: +55 (21) 2234-1609 e 2234-1574.


No bairro de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio de Janeiro, está localizado um parque público que reúne muita beleza paisagística e um enorme valor histórico.

Antiga residência da família real e, mais tarde, imperial, a Quinta da Boa Vista é o resultado de muitas obras e reformas de paisagistas e arquitetos franceses e ingleses, que transformaram a antiga fazenda jesuíta em uma linda propriedade, onde Dom João VI viveu e deixou mais tarde para Dom Pedro e seus descendentes.

Com o advento da República, a área se transformou num parque público. Destinado a piqueniques, caminhadas, horas de descanso e distração, é uma ótima opção de lazer para todas as idades.

Um cenário lindo, de muito verde, verdadeiramente amplo, que se desdobra em colinas, lagos, grutas, pontes e cascatas...todas as características românticas e inquestionavelmente adoráveis. Jardins em torno dos quais se ergueram estátuas e bustos se transformam em pracinhas, banquinhos convidam os visitantes a se sentarem e apreciar toda a harmonia do local, onde árvores se organizam em torno de alamedas e construções de enorme valor histórico, como o Museu Nacional, antigo Paço de São Cristóvão.

Uma ótima sugestão para quem não quer deixar de conhecer nenhum cantinho da Quinta é realizar o passeio de trenzinho, que percorre todo o local, convidando o passageiro a imaginar que toda aquela enorme área poderia ser sua residência pessoal, como um dia foi da família real.

A Quinta, atualmente, atrai os que desejam praticar exercícios (correndo, caminhando ou andando de bicicleta) ou apenas descansar na sombra de uma árvore. Também é um ponto muito procurado pelas famílias que levam seus filhos para brincar e aproveitar as várias barraquinhas que vendem algodão doce, pipoca, lanches ou singelos brinquedos, similares aos das festas juninas.

Ao lado da Quinta, há um portão monumental, réplica do portão londrino da Sion House. Este é a passagem para o Jardim Zoológico, outra das muitas riquezas ecológicas do Rio de Janeiro.

Sítio Roberto Burle Marx Um dos mais importantes paisagistas do nosso tempo, Roberto Burle Marx deixou um legado de valor inestimável não só para a cidade e o povo carioca como também para todos aqueles que amam e lutam pela preservação da natureza.

Seu sítio, localizado em Guaratiba, reúne mais de 3.500 espécies de plantas, muitas em vias de extinção, que somadas a um fabuloso acervo de obras de arte, uma biblioteca com mais de 2.500 livros e diversas atividades culturais, acabaram transformando o local em ponto de visita obrigatório para crianças, adultos e estudiosos das mais diversas partes do mundo.


Numa área verde com 3.600 m², um dos mais importantes paisagistas do nosso tempo, Roberto Burle Marx, deixou um legado de valor inestimável, não só para a cidade e o povo carioca como também para todos aqueles que amam e lutam pela preservação da natureza. O seu sítio, localizado em Guaratiba, reúne mais de 3.500 espécies de plantas nacionais e estrangeiras - muitas em vias de extinção – que, somadas a um fabuloso acervo de obras de arte, uma biblioteca com mais de 2.500 livros e diversas actividades culturais, acabaram por transformar o local em ponto de visita obrigatório para crianças, adultos e estudiosos das mais diversas partes do mundo. Em 2000, foi protegido pelo Instituto do Património Histórico (IPHAN). As visitas podem ser feitas mediante marcação antecipada e são gratuitas. Fica na Estrada Roberto Burle Marx, Estrada da Barra da Guaratiba, 2019. Marcações e outras informações: +55 (21)2410-1412.