Voo de Asa Delta no Rio de Janeiro

De WikiRio
Ir para: navegação, pesquisa
Voo duplo de Asa Delta.
Voando com o Oceano Atlântico como cenário.
O voo duplo é uma experiência inesquecível.

Mundialmente conhecido pela sua incrível beleza natural, a cidade do Rio de Janeiro é o lugar perfeito para experimentar o voo de asa-delta. Considerado o melhor local no Brasil para vôos duplos, a Pedra Bonita localizada no Parque Nacional da Tijuca, conta com uma excelente rampa de voo, a 520 metros de altitude, que está estrategicamente posicionada em frente à Praia do Pepino, numa paisagem deslumbrante.

O voo de asa delta pode ser feito sempre que as condições meteorológicas estiverem satisfatórias, independente do dia da semana. Não é necessário experiência para fazer um voo duplo, que é feito com um piloto instrutor certificado ao seu lado.

Instrutores


FAQ

Asa delta

Asa Delta é a sensação mais próxima de um pássaro que um ser humano pode sentir. Por não ter motor, a experiência transmite a sensação de estar realmente voando.

Segurança

Como qualquer forma de esporte, o voo de asa delta requer treinamento cuidadoso. Asa delta pode ser perigosa se for conduzida com descuido. Os pilotos de asa delta do Rio de Janeiro tem longa tradição de voo e excelente histórico de segurança, com apenas alguns raros acidentes em décadas.

Como conduzir uma asa delta

Simplificando, a asa-delta é controlada por mudança de peso. Isto significa que o piloto desloca seu peso para um lado ou outro para manobrar o planador e move seu peso para frente e para trás de forma a controlar a velocidade.

Como se segurar a uma asa delta

O piloto e o acompanhante são suspensos por sistemas de correia. Não é preciso se segurar a nenhuma parte da asa delta.

Velocidade máxima

A velocidade média de uma asa-delta é de cerca de 30km/h mas pode chegar a 70km/h.

<mediaplayer>http://www.youtube.com/watch?v=wJfqzBWqu6A</mediaplayer>

Diferença entre a asa delta e parapente

Ao contrário da estrutura rígida de uma asa delta, a asa do parapente é mantida apenas pela pressão do ar. Isso significa a asa delta é mais estável e pode voar em velocidades mais altas e em uma maior gama de condições de vento. No parapente voa-se sentado, enquanto na asa delta voa-se deitado.

Previsão do tempo

Não assuma que o tempo ruim é empecilho para voar. As previsões são genéricas e podem ser imprecisas. Há dias em que a previsão não parece favorável mas podem ser feitos ótimos vôos. Os instrutores tem muita experiência para julgar as condições do tempo.

Máquina fotográfica

Você não pode levar sua câmera com você no voo, pois existe a possibilidade de você deixar cair ou danificar seu equipamento. Aproveite para se concentrar em desfrutar o voo, apreciando a bela vista e entendendo o fincionamento da asa delta. Normalmente existe uma câmera montada sobre a asa delta que tira foto do voo, mas este preço costuma ser pago.

Como se vestir

Não é preciso nenhum equipamento especial para voar. Vista uma roupa condizente com o clime que estiver fazendo e prefira usar óculos escuros. Caso a temperatura estiver baixa você deve vestir um casaco.

Voos duplos em asa delta e parapente com fins lucrativos são proibidos pelo artigo 177 do Código Brasileiro de Aeronáutica (Lei 11° 7.565/86), que define que o serviço aéreo privado recreativo ou esportivo só pode ser realizado sem remuneração. Já o Regulamento Brasileiro de Homologaçäo Aeronáutica classifica esses veículos como experimentais.


O Clube São Conrado de Voo Livre adota rígidas normas de fiscalização para a segurança de alunos, instrutores e esportistas. A cada seis meses o Clube vistoria 15 itens dos equipamentos dos instrutores. A instituição também exige que eles sejam substituídos a cada 1.200 voos. Todos os equipamentos são homologados por normas internacionais de segurança e os instrutores são todos certificados.

—Clube São Conrado de Voo Livre

Histórico de Acidentes

  • 2003 - A estudante de medicina Ana Rosa Lapa dos Santos, que residia em Manaus e estava de férias no Rio, morreu junto com o piloto Edvaldo da Silva, o "Valtinho", quando a asa delta colidiu com a pedra da Gávea, caindo em seguida no mar.
  • 2007 - O instrutor e um turista americano se feriram em um acidente com asa-delta. O instrutor teria esquecido de se prender ao equipamento e teve que acionar o para-quedas, ejetando-se da asa-delta e deixando sozinho o turista, que acabou caindo na mata metros abaixo.
  • 17/11/2008 - A turista holandesa, Rebecca Faust, e o instrutor sofreram um acidente de asa delta e foram resgatados no início da noite na mata da Pedra Bonita. Os dois sofreram apenas algumas escoriações. Link para a notícia
  • 25/03/2012 - Um acidente de parapente, pilotado pelo instrutor de voo livre Alan Figueiredo, matou Priscila Boliveira, de 24 anos, no domingo ao cair na Praia de São Conrado, na Zona Sul. Segundo o delegado, o vídeo que mostra a preparação e a decolagem para o voo duplo comprovam que a jovem saltou com as duas travas de segurança das pernas abertas. Apenas a trava do peitoral estaria fechada. Link para a notícia