Vizinha Faladeira

De WikiRio
Ir para: navegação, pesquisa

Vizinha Faladeira

Uma das mais antigas escolas de samba do Brasil, a Vizinha Faladeira foi a primeira escola a ter comissão de frente. além de utilizar enredos internacionais, dando uma parada durante 48 anos. atualmente amarga os grupos inferiores.

Ficha técnica 2019

Vizinha Faladeira
Presidente David dos Santos
Presidente de honra Marcus Vinícius
Carnavalesco Jean Rodrigues
Intérprete Anderson Paz
Diretores de carnaval China, Everaldo, Bianca
Diretores de harmonia Fabiano Silveira, Allan Guimarães, Sivuca
Diretor de bateria Mestre Jorginho
Rainha de bateria Veronice de Abreu
Mestre-sala e Porta-bandeira Jorge Vinicius e Laís Lúcia
Comissão de frente Adilson Lourenço

História

O nome da escola surgiu como uma espécie de ironia a duas moradoras da Rua da América, a "Velha França" e a "Velha do Beco", conhecidas e afamadas faladeiras das vidas alheias.

A Vizinha Faladeira participou pela primeira vez dos desfiles em 19332 . No ano seguinte, com o enredo Malandro Regenerado, a escola trouxe 12 luxuosas limusines, com pessoas bem vestidas, formando a comissão de frente. Gambiarras iluminavam a avenida, num desfile em que, apesar de delirantemente aplaudida, a escola obteve o 6º lugar.

Para o carnaval de 1935, foram contratados os irmãos Garrido, os melhores cenógrafos da época. O enredo escolhido para o desfile foi Samba na Primavera. Naquele ano, segundo alguns estudiosos, a Vizinha teria apresentado o primeiro carro alegórico utilizado numa escola de samba: um caramanchão sobre rodas. A comissão de frente veio montada a cavalo. Mais uma vez o sucesso foi extraordinário, mas a escola ficou novamente apenas em 4º lugar.

Em 1936, quando o público e a imprensa aguardavam mais novidades, a Vizinha apresentou o enredo Ascensão do Samba na Alta Sociedade. Pela primeira vez desfilou uma ala de damas, com sombrinhas. Os integrantes da bateria vieram fantasiados de malandros, com seus instrumentos de barrica francesa. Uma sofisticação, já que as outras escolas traziam instrumentos pesados e de má qualidade de som. Novamente na 6º colocação.

Uma só bandeira foi o enredo de 1937, uma homenagem às bandeiras nacional e dos estados. Naquele ano, o luxo e o esplendor das sedas fornecidas só foram superados pelas 40 gambiarras que a escola trouxe, iluminando a Praça Onze com as luzes flamejantes dos lampiões de carbureto. Foi um grande contraste com as co-irmãs, iluminadas com velas e lamparinas. Naquele ano, a escola conquistou seu único título da divisão principal.

Em 1939, a Vizinha Faladeira trouxe o maior carnaval da década de 30. O enredo Branca de Neve e os 7 Anões teve, pela primeira vez no carnaval, uma ala infantil, fantasiada de anões, e apresentou, também pioneiramente, destaques luxuosos, em cima dos carros. A consagração foi total. Quando todos esperavam o bicampeonato, veio a decepção: a escola foi desclassificada por infringir o item do regulamento que proibia temas estrangeiros

Devido a este fato, a diretoria resolveu acabar com aquela que fora a maior, a mais rica, a mais irreverente e revolucionária escola da época. Mas em respeito a seus componentes e ao grande público a diretoria preparou a última surpresa: no Carnaval de 1940, a Vizinha desfilou normalmente até divisar o palanque dos julgadores, parando mesmo antes de se apresentar para os mesmos e desfraldando uma faixa com os dizeres: "Devido às marmeladas, adeus Carnaval. Um dia voltaremos", e desfilou por trás do palanque dos julgadores, caracterizando-se assim, o primeiro e mais importante protesto em desfiles de Escolas de Samba até os dias de hoje.

No dia 6 de janeiro de 1989, quase cinquenta anos após ficar com a bandeira enrolada, foi convocada uma assembleia geral e foi revivida a escola, que desfilou no Grupo de Acesso no ano de 1990. Foi campeã com um enredo sobre Clara Nunes. Esse resgate da escola contou com um grupo de pessoas ilustres e de boa vontade, agregando os trabalhadores do porto e os moradores dos bairros da Saúde, Santo Cristo, Morro do Pinto, Providência, além de pessoas da Zona Sul, que começam a descobrir a escola. Mas os tempos são outros e a escola, apesar de ter conseguido chegar ao segundo grupo na década de 90 e repetindo esse feito na primeira década dos anos 2000, ainda sente dificuldade de se manter nos principais grupos do carnaval carioca.

Em 2003, a escola resolve trocar a sua bandeira. O antigo símbolo da vizinha linguaruda foi deixado de lado e surgiu uma sereia em seu lugar. A vizinha linguaruda foi o símbolo da primeira formação da escola, nos anos 30, e mantida durante alguns anos após a volta da escola aos desfiles. O novo símbolo deu sorte e a escola conquistou mais um titulo em 2004, conseguindo ascender ao Grupo A8 , no qual permaneceu por dois anos, de 2005 até 2006, quando foi rebaixada para o Grupo B. Em 2008, terminou na penúltima posição no grupo B, tendo que desfilar no Grupo C em 2009.

Em 2010, trouxe como enredo Uma viagem fantástica viagem no mundo do pirlimpimpim, novamente uma temática infantil, cantada num samba de seis autores, totalmente em menor. Terminou na 5º colocação, permanecendo no mesmo grupo para 2011. No ano de 2012, terminou na penúltima posição no grupo D, caindo para o desfile de terça-feira, que seria o do Grupo E. Com a promoção das escolas do Grupo B ocorrida para o ano seguinte, a escola desfilou novamente pelo Grupo D (quinta divisão), que passou a ser o último grupo e nesse ano a agremiação foi muito afetada pelas obras de revitalização da Zona Portuária.

Seu desfile em 2012 foi considerado pela imprensa especializada como de campeã, mas a escola acabou penalizada em obrigatoriedades.[carece de fontes] Na apuração, acabou rebaixada para bloco de enredo, em um resultado considerado muito controversopela mídia. A diretoria da Vizinha criticou duramente a diretoria da AESCRJ, recém-eleita, à qual a escola fazia oposição, uma vez que a Unidos do Anil teria usado um carro alegórico da Unidos de Villa Rica, que desfilou dois dias antes, e a Matriz de São João de Meriti havia recebido notas no quesito alegoria sem apresentá-lo (seu único carro quebrou no início do desfile).13 14 Seu presidente, Quinzinho, definiu o episódio como "uma punhalada".

Após protestosne uma ação judicial, a Vizinha e outras duas escolas rebaixadas conseguiram uma liminar para serem incluídas na ordem de desfile do Grupo D para o Carnaval de 2014. mas após conversas, desistiu da idéia de desfilar nesse ano. mas foi incluida novamente no Grupo D, sem participar do grupo de avaliação. ainda em meados de 2014, a agremiação escolheu Júnior Nascimento como seu mandatário, trazendo crias da escola, como Mestre Jorginho reassumindo a bateria; Capoeira que exerçe a direção de bateria da Império da Tijuca agora na função de diretor de carnaval e o retorno do intérprete Marcelinho. sendo campeã consecutivamente dos grupos D e C, nos anos de 2015 e 2016. estando na Série B em 2017.


Segmentos

Presidência

Mandato Presidente
1994-1995 Carlos Alberto Alano
1996 Jorge Darques
1997 Hilton Ferreira Barreto
1998-2005 José Alberto Alves dos Santos
2006 Carlos Rodrigues Militão
2007-2008 Ricardo Ferri
2009-2010 Eduardo Silva
2011 Ney da Silva
2012 Quinzinho
2014-atualmente Júnior Nascimento

Corte da bateria

Rainhas de bateria

2005 Carolina Assis
2006 Graciele Souza
2007-2009 Núbia Camargo
2010-2011 Débora Andrade
2012-2017 Lú Fogaça
2018-atualmente Veronice de Abreu

Carnavais

Ano Col Divisão Enredo Carnavalescos Intérpretes
1934 SC UGESB Malandro Regenerado Irmãos Garrido Enéas da Silva
1935 UGESB Samba na Primavera Irmãos Garrido Enéas da Silva
1936 UGESB Ascensão do Samba na Alta Sociedade Irmãos Garrido Enéas da Silva
1937 UGESB Uma só bandeira Irmãos Garrido Enéas da Silva
1938 DC UGESB Branca de Neve e os 7 Anões Irmãos Garrido Enéas da Silva
1990 Grupo D Clara Nunes, o canto de um povo Jorge Nova Carlinhos Emoção
1991 Grupo C Eu sou o samba Jorge Nova Carlinhos Emoção
1992 Grupo C Quem é do mar não enjoa Jorge Nova Carlinhos Emoção
1993 10º Grupo B Um ser criança Sérgio Murilo Carlinhos Emoção
1994 Grupo B Sou Rei - Sou Rainha - Na corte da Vizinha Paulo Barros e Henrique Celibe Carlinhos Emoção
1995 Grupo A O Relicário do samba Paulo Barros e Henrique Celibe Carlinhos Emoção
1996 Grupo A Elba Popular Brasileira Jorge Nova Carlinhos Emoção
1997 10º Grupo A Lan, a cara alegre e colorida do Rio Sylvio Cunha Carlinhos Emoção
1998 Grupo B Cem anos de existência: tome Providência Júlio Mattos Carlinhos Emoção
1999 10º Grupo B Sou Vizinha Delirando a Passarela, É Paulínea na Sapucaí Guina Nascimento e Carlos Mazzarella Carlinhos Emoção
2000 Grupo C Mata Atlântica - SOS nos 500 do Brasil Comissão de Carnaval Carlinhos Emoção
2001 10º Grupo B Uarará, o fruto da vida Comissão de Carnaval Carlinhos Emoção
2002 Grupo B Nem tudo que reluz é ouro Paulo Barros Carlinhos Emoção
2003 Grupo B Todo mundo tem família - A história é a mesma, só muda o endereço Lílian Rabello Marcelinho
2004 Grupo B A Bela Adormecida Flávio Policarpo Marcelinho
2005 Grupo A 2222 Gil, o Expresso da Cultura no Brasil Flávio Policarpo e Antônio Sérgio Marcelinho
2006 Grupo A Adorável loucura na cidade do encantamento Severo Luzardo Marcelinho
2007 Grupo B Oduduya - a volta ao tempo da criação Jorge Caribé Marcelinho
2008 13º Grupo B Vizinha Faladeira no Brasil das maravilhas Laerte Gulini Marcelinho
2009 Grupo RJ2 A luz da vida jamais se extinguirá Walter Guilherme Igor Sorriso
2010 Grupo RJ2 Uma viagem fantástica viagem no mundo do pirlimpimpim Orlando Júnior Lico Monteiro
2011 16º Grupo C Vizinha Faladeira dá as cartas Jorge Castro Beiço e Miguelzinho
2012 12º Grupo D A essência da vida... O progresso social sob a liberdade e igualdade Newton Ribeiro e Carlos Cavalliere Fábio Ribeiro
2013 10º Grupo D O Brasil está em festa. A visão da pioneira! Newton Ribeiro e Carlos Cavalliere Hugo Júnior
2015 Série D Aqui onde nada tinha, quem a esse porto vinha, dava de cara com a Vizinha! Agora no novo porto Jean Rodrigues Marcelinho
2016 Grupo C Assim caminha a humanidade Jean Rodrigues Marcelinho
2017 Série B A Última do Português a que nem Camões contaria... Jean Rodrigues Marcelinho
2018 Série B O marquês numa viagem pioneira, vê nascer um rei na Vizinha Faladeira!... Paulo Barros, o DNA do Carnaval Jean Rodrigues Marcelinho e Anderson Bala
2019 Série B Jean Rodrigues Anderson Paz


Endereço

Localização Rua da Gamboa, 345, Santo Cristo (Rio de Janeiro)
Telefone Informação não fornecida pela escola de samba
Eventos Informação não fornecida pela escola de samba


ESCOLAS DE SAMBA e BLOCOS DE ENREDO 2019
(Desfile das Escolas de SambaDesfile das Escolas Mirins e BlocosResultados)
Campeãs (EspecialSérie ASérie BSérie CSérie DSérie EBlocos de enredo) • Discografia (EspecialSérie ASérie BSérie CSérie DSérie E)
Grupo Especial Beija-FlorParaíso do TuiutiSalgueiroPortelaMangueiraMocidadeUnidos da TijucaImperatrizVila IsabelUnião da IlhaSão ClementeGrande RioImpério SerranoViradouro
Série A Unidos da PonteAlegriaRocinhaSanta CruzUnidos de Padre MiguelInocentesSossego | Unidos de BanguRenascerEstácioPorto da PedraImpério da TijucaCubango
Série B LucasBoca de SiriLins ImperialTradiçãoCuricicaArameVizinha FaladeiraEngenho da RainhaEm Cima da HoraUnião de MaricáVigário Geral
Série C Jardim BanguAcadêmicos de MadureiraUnidos das VargensVilla RicaDifícil é o NomeArrancoImpério da UvaSerenoVila KennedyVila Santa TerezaAcariCabuçuJacarezinho
Série D Independente da Praça da BandeiraLeão de Nova IguaçuRosa de OuroIndependentes de OlariaChatubaImpério RicardenseAboliçãoUnião de JacarepaguáCosmosMocidade de Vicente de CarvalhoTupy de Brás de PinaSanta MartaCaprichosos
Série E ArrastãoFlor da MinaMocidade de InhaúmaAlegria do VilarCoroadoEmbaloFeitiçoCampo GrandeManguinhosMensageirosDendêMocidade UnidaDelírioGuerreirosFlor da PrimaveraPingo D'águaGarras do Tigre • Renascer de Vaz Lobo • MaréUnidos da Barra
Grupo 1 BarrigaImpério do GramachoNovo HorizonteVidigalGrilo de BanguAlto da Boa VistaBloco do ChinaMocidade da Mineira
Grupo 2 Tradição BarreirenseVai Barrar? Nunca!Cometas do BispoCanários das LaranjeirasLaureanoManguaribaÁgua BrancaOba-Oba do RecreioRaízes da TijucaEsperança de Nova Campina
Escolas Mirins Ainda Existem CriançasAprendizesCorações UnidosEstrelinhaFilhos da ÁguiaGolfinhosHerdeirosImpério do FuturoInfantesInocentes da CaprichososMangueira do AmanhãMiúda da CabuçuNova GeraçãoPetizes da PenhaPimpolhosTijuquinha
Entidades carnavalescas extintas ou suspensas
AnilArrastão de São JoãoBoêmios de InhaúmaBoi da IlhaCabralCachambiCampinhoCampinho ImperialCinelândiaChora na RampaColibriCordovilFalcão DouradoFoliões de BotafogoGuaratibaImperialImpério da Zona OesteJardim PrimaveraMagnatasMarangáMatriz de São JoãoNação InsulanaParada AngélicaParaíso da AlvoradaPraça SecaPiabetáPilaresSacramentoRocha MirandaRoda Quem PodeTrês CoraçõesTigre de BonsucessoTubiacangaUnião de Vaz LoboUnidos do SalgueiroUraitiValéria