Sandbox: Praias do Rio

De WikiRio

Praias da cidade do Rio de Janeiro

Possuindo quilómetros de litoral envolvido por montanhas com florestas nativas e áreas de restinga fazem com que o Rio de Janeiro tenha algumas das mais belas praias do Brasil e até do mundo.

Nesta cidade você pode curtir praias mais baladadas cheias de bares na orla e quiosques como as de Copacabana, Barra e Ipanema ou até curtir paisagens tranquilas e rodeadas de verdes nas praias de Grumari, Macumba e da Reserva no Recreio dos Bandeirantes onde áreas de reservas preservam a vegetação litorânea do local.

Por ser uma cidade litorânea à cidade do Rio de Janeiro possui muitas outras praias além das citadas acima, como a praia do Recreio, Macumba, Prainha, Grumari, Tartaruga, Pedra de Guaratiba, Marambaia entre outras que valem a pena serem visitadas.


Se alguém lhe disser que, para ver e ser visto no Rio, o melhor é andar nos calçadões das praias, ele não estará errado. Experimente caminhar despreocupadamente em Ipanema ou Copacabana, assim, como quem não quer nada. Seus olhos e sentidos provavelmente confirmarão a beleza da paisagem.

Em Ipanema - os quatro quilômetros de calçadão são frequentados por artistas de TV e intelectuais. Num domingo, pode-se ficar sentado em um quiosque, tomando água-de-coco e observando estrangeiros, idosos, cachorros e ciclistas curtindo a praia, cada um à sua maneira.

Na rua Paul Redfern, ainda em Ipanema, os restaurantes oferecem massas e frutos do mar. Os maîtres estarão sempre dispostos a ir até a porta atendê-lo, explicar o cardápio e tentar fisgá-lo.

Aos domingos, a praça General Osório, a duas quadras da praia, abriga uma feira supostamente hippie que convida a uma caça a tranqueiras em geral.

Já Copacabana, uma das curvas mais famosas da geografia do Rio, é parada obrigatória para o turista em visita à cidade.

Só é bom evitar áreas como a das proximidades da discoteca Help, pois você corre o risco de sentar em uma mesa rodeada de gringos discutindo o desempenho sexual da noite anterior.

Para saber sobre as praias e condições da água, acesse o site: [www.rio.rj.gov.br/smac/balneab www.rio.rj.gov.br/smac/balneab].

Praia do Abricó

Praia do Arpoador

Sede de vários torneios nacionais e internacionais de surf, a praia do Arpoador apresenta uma das ondas mais perfeitas do Rio de Janeiro. Altas e com ótimas formações, as ondas fazem do local um ótimo point para os surfistas. Ainda há a possibilidade da prática de windsurf. Em maio de 1999, ondas gigantes invadiram a praia e obrigaram a interdição para banhistas.

Fica entre o Forte de Copacabana e a Rua Francisco Otaviano com a Avenida Vieira Souto. É famosa pela pedra que invade o mar, separando a Praia de Copacabana e do Diabo das praias de Ipanema e do Leblon. Lá de cima, pode apreciar uma das vistas mais bonitas do Rio de Janeiro, com o morro Dois Irmãos ao fundo. É muito procurada pelos praticantes de surf.

Praia da Barra

A praia da Barra da Tijuca vem a ser uma das mais frequentadas pelos cariocas, com aguas claras e muito charme é também a maior em extensão de todas as outras.

Longa e urbanizada, tem ondas fortes com alguns trechos perigosos e desaconselháveis para banhos. Muito procurada para a prática do surf.

A praia da Barra da Tijuca vem a ser uma das mais frequentadas pelos cariocas, com aguas claras e muito charme é também a maior em extensão de todas as outras.


  • É a maior praia e, nos dias de semana, a mais vazia. Seus frequentadores vêm do subúrbio ou de condomínios de alta classe média vizinhos. Logo no início, os marombados (os fortões de academias) e as popozudas se douram em frente à barraca do Pepê, onde Márcio Garcia joga futevôlei com amigos.

Barra da Guaratiba

Urbanizada, vai do trecho do litoral, perto da Restinga da Marambaia. De lá, saem trilhas que levam a praias desertas, como as do Inferno, Perigoso e do Meio. Oferece caminhadas guiadas. Informações: +55 (21) 9111-3763.

Praia de Botafogo

Praia urbana, mas muito poluída. Proporciona uma linda vista do Corcovado e do Pão de Açúcar.


Oferece uma bela vista para a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar mas é muito poluída, tornando-se imprópria para banho.

Praia de Copacabana

Copacabana é a praia mais famosa do Brasil e do mundo, conhecida como é "princesinha do mar" por possuir uma beleza natural explendida com montanhas e ilhas ao redor, possui excelente infra estrutura com muitos bares, hotéis de luxo e quiosques na praia.

Repleta de bares, é muito procurada para tomar uma cerveja ao final de tarde. A larga faixa de areia estende-se da Avenida Princesa Isabel até ao forte de Copacabana. É em Copacabana que acontece uma das mais famosas festas de Réveillon do País, com espectáculos pirotécnicos e musicais gratuitos.


É, junto com Ipanema, a praia mais famosa da cidade. É uma praia urbana, extensa e cosmopolita. Lá você encontra pessoas do mundo todo e, sempre que há gringo, há garota de programa. Fique atento aos trombadinhas que adoram aproveitar-se de turistas desavisados.

Praia do Diabo

Praia do Flamengo

Tem mar calmo, mas também é poluída. A paisagem inclui barcos da Marina da Glória.

Praia de Grumari

Praia de Ipanema e Arpoador

Ipanema vem logo após a praia de Copacabana e vai da praia do Arpoador onde localiza-se o pico dos surfistas cariocas, com infra-estrutura mais sofisticada e frequentadores mais elegantes torna-se umas das principais praias da cidade.

É, sem dúvida, um famoso ponto de encontro do Rio de Janeiro e uma das praias mais famosas da cidade. Tem quadras de futevólei, equipamentos de ginástica e, a cada posto de salvamento, há sanitários e chuveiros para os banhistas que querem tirar o sal do corpo. É palco de eventos como o Campeonato Mundial de Vólei de Praia.


  • Partindo do Arpoador em direção ao Jardim de Alah, a praia parece um degradê de tipos. No Arpoador fica a "galera" que vem do subúrbio de ônibus e desce no ponto final da rua Francisco Otaviano (entre Copacabana e Ipanema); andando em direção ao Leblon, tem o pedaço gay, entre as ruas Teixeira de Mello e Farme de Amoedo (começa a ficar animado depois das 14h, já que a maioria dos frequentadores ficou dançando até as 5 h); a próxima turma, a do Posto 9 (entre as ruas Vinícius de Moraes e Joana Angélica), é composta pelo povo de teatro, músicos e artistas plásticos, que frequentam a praia no final da tarde; a partir dali, os banhistas vão ficando cada vez mais brancos _é a faixa em frente ao hotel Caesar Park, na rua Maria Quitéria, onde os gringos se estendem em toalhas, protegidos por seguranças. Próxima parada, rua Garcia d'Ávila, "point" de adolescentes "patricinhas" e "mauricinhos" que estudam nos colégios tradicionais da zona sul. A faixa "burguesa" vai se transformando em "high society" à medida que se aproxima do Country Clube.

Praia da Joatinga

Esta praia é bem reservada aos jovens e principalmente surfistas que a frequentam quando o mar está para ondas. Esta praia possui entrada por dentro de um condomínio de luxo e fica entre os bairros de São Conrado e Barra da Tijuca. Sobre os pés da Pedra da Gávea à praia da Joatinga é uma parada obrigatória para quem gosta de surf e tranquilidade.

Praia do Leblon

A famosa praia do Leblon está localizada em um dos bairros mais nobres e famosos da cidade do Rio de Janeiro, muito frequetanda por jovens e famosos por sua tranquilidade e conforto além da famosa vista do Morros dos Irmãos ao fundo.

Praia tranquila, com boa estrutura para prática de desporto e uma ciclovia. Tem 1,3 km de extensão e está separada de Ipanema pelo Jardim de Alá – canal que liga a lagoa Rodrigo de Freitas ao mar.


  • Como fica entre dois canais, o banho não é aconselhado. A frequência é de surfistas (na água) e pessoas do bairro (na calçada), considerado o mais charmoso da cidade. A caminhada no calçadão é animada, especialmente na região do Baixo Bebê, em frente à rua Venâncio Flores, onde artistas da Globo posam com seus filhos para a revista "Caras".

Praia do Leme

A praia do Leme é uma continuação da praia de Copacabana, a única mudança é o nome do bairro e a pedra do Leme que possui um mirante onde é possível observar toda extensão da faixa de areia.

Praia da Macumba

Praia do Pepê

Trecho da praia da Barra da Tijuca em frente à Rua Noel Nutels, muito frequentada por jovens. O nome presta homenagem ao campeão de voo livre Pedro Paulo Carneiro Lopes, o Pepê – morto num acidente em 1991.

Praia do Pepino ou de São Conrado

A praia de São Conrado está localizada em um dos bairros mais valorizados da cidade São Conrado, envolta por montanhas com florestas densas ao seu redor e no fundo a favela conhecida como Favela da Rocinha.

A praia de São Conrado é o principal rota de prática de vôo livre da cidade, os praticantes de asa-deltas e parepentes usam as rampas que ficam na Pedra Bonita para os saltos e pousam na praia. O cartão postal do bairro é a Pedra da Gávea, o maior bloco de pedra à beira-mar do mundo.

Com ondas fortes, a Praia do Pepino é local de pouso das Asas Deltas que decolam da Pedra da Gávea.


  • Em São Conrado. Num extremo, ficam a favela da Rocinha e os hotéis Nacional e Inter-Continental; no outro, prédios de alto luxo. Na areia, a maioria dos banhistas é composta pela população da Rocinha, que é grande.

Praia do Perigoso

Prainha

Praia do Recreio dos Bandeirantes

Praia da Reserva

Como o nome já diz está praia calma e reservada está localizada dentro de uma área de preservação ambiental onde nao possuem prédios ou casas somente áreas de restinga e ao fundo do outro lado da estrada as lagoas da Barra da Tijuca. As únicas instalações para atender os turistas e visitantes são quiosques em toda extensão da praia.

Como o nome já diz está praia calma e reservada está localizada dentro de uma área de preservação ambiental onde nao tem prédios nem casas somente verde e alguns quiosques fazem parte do cenário.

Praia de São Conrado

Praia de Sepetiba

Praia da Urca

Praia Vermelha

Dirigindo-se à Urca, muitos anseiam encontrar o famoso Pão de Açúcar. No entanto, se surpreendem ao perceber que os arredores do admirável ponto turístico guardam muito charme e simpatia, convidando o turista a estender o passeio até esse pedacinho do bairro, mais conhecido como Praia Vermelha.

No centro do local, está situada a monumental Praça General Tibúrcio. Além de ocupar grande parte da região, exibe um lindo chafariz, cercado de banquinhos, jardins e um agradável clima familiar. No meio da praça, uma enorme estátua guarda, em seu subsolo, um mausoléu. Esta homenageia os que lutaram bravamente nas guerras de invasão, no início da história da cidade. Apesar do aspecto um tanto macabro que pode sugerir, o monumento, na verdade, não passa de uma simpática atração às crianças, que correm e brincam em volta da estátua.

Os arredores da praça são ocupados por instituições miltares, como o IME – Instituto Militar de Engenharia – e a ECEME – Escola de Comando do estado Maior do Exército. O primeiro é um dos maiores tecnopólos nacionais. Muitos estudantes de todo o país se submetem a um concurso extremamente difícil e concorrido, pretendendo se formar numa instituição de notória excelência de ensino. O segundo se trata de uma espécie de escola para os oficiais que pretendem comandar quartéis de todo o país. Há ainda a Escola Superior Naval e o Edifício Militar da Praia Vermelha, um prédio residencial destinado aos militares e suas famílias. Não é difícil entender, portanto, o porquê de a Praia Vermelha ser predominantemente um área militar - o que decerto inspira segurança a todos os que visitam a região.

Militarismo à parte, o que se observa na Praia Vermelha é uma ótima sugestão de lazer. Um lazer de alta qualidade. A pacata praia, que dá o nome à região, é rodeada por uma paisagem esplêndida. No pequeno calçadão que a beira, encontram-se inúmeros quiosques, um agradável parquinho e espécies de mini jardins, cultivados num cimento que se ergue sobre o solo, formando lindas pracinhas, cercada de sombras frescas graças à arborização. Nelas, destacam-se algumas esculturas, com um estilo romântico grego ou em bronze, como a de Chopin.

No lado direito da Praia, localiza-se o Clube Militar da Praia Vermelha. Além das opções de lazer destinadas aos sócios, há um restaurante, aberto ao público. É impossível não conhecê-lo! O cenário é privilegiado: belas vistas da praia a partir de diferentes ângulos e a idéia de um forte, simbolizada pelo canhão da entrada e pela própria posição do clube, erguido num recanto, protegido por montanhas.

No lado esquerdo da Praia, ao lado da pequena escolinha Gabriela Mistral, está situada uma área de preservação ambiental que encanta a todos os visitantes. A Pista Cláudio Coutinho é uma linda opção para os que não resistem a um passeio ecológico. Além de servir como uma pista de caminhadas e corridas, possui um dos mais belos mirantes que acompanham todo o percurso, rodeado pelo mar, por uma flora admirável e pelo Morro da Urca. A pista, na verdade, contorna parte da montanha por onde passa o bondinho. É por isso que muitos sugerem subir uma das trilhas até o famoso ponto turístico, e pegar uma carona no bondinho na descida.

A Praia Vermelha é uma espécie de paraíso escondido. Talvez todas suas riquezas não sejam notadas à primeira vista, mas conforme se desbrava cada um dos seus cantinhos, fica sempre o fascínio e a vontade de voltar muitas outras vezes.

Praia do Vidigal

A praia do Vidigal situa-se mais acima do bairro do leblon, na Av. Nyemaier, sendo muito reservada devido ao acesso difícil onde se encontra um hotel de luxo chamado Sheraton, bonita e paradisíaca rodeada por muito verde e montanhas que inspiram o cenário.

Prainha

Praia pequena e com ondas fortes, é uma das preferidas dos surfistas. Os morros à sua volta ainda são cobertos pela rica Mata Atlântica.


Praias Selvagens

Dono de uma extensa faixa litorânea, o Rio alçou fama internacional graças, em grande parte, às suas praias urbanas. Mas essa orla generosa, que abriga 71 praias, preserva cinco delas ainda selvagens. São recantos paradisíacos, protegidos por paredões de pedra e vegetação exuberante, acessíveis apenas por trilhas (nem sempre fáceis) ou por embarcações. Situadas entre Grumari e Barra de Guaratiba, as praias dos Búzios (ou das Conchas), do Perigoso, do Meio, Funda e do Inferno são pouco conhecidas até mesmo por cariocas, pelo menos até agora.

Percorrer as trilhas, num total de 3,5km, acompanhando a sinuosidade da encosta — o que demora pelo menos três horas para ir da primeira, Búzios, à última delas, Inferno — pode ser uma aventura para quem não está acostumado, mas, o esforço, é recompensado pela beleza e tranquilidade.

O acesso por trilha limita bastante a presença de banhistas às cinco praias. É fato. Mas seria inverdade afirmar que as elas são sempre desertas. Longe de qualquer comparação com a orla da Zona Sul num domingo de verão, esse pedaço ainda protegido do litoral carioca costuma ser refúgio de dezenas de praticantes de camping "selvagem" nos feriado prolongados, o que tem deixado indignados moradores de Barra de Guaratiba, por causa do rastro de lixo que costumam deixar para trás. Algumas pedras pichadas pelo caminho das trilhas também denunciam que a região não está a salvo de vandalismo, embora faça parte da Área de Proteção Ambiental de Grumari.

Mas fora dos períodos tumultuados, as cinco praias estão lá, praticamente desertas, exibindo beleza abundante, além de descortinar um ângulo diferente da Pedra da Gávea. As duas primeiras praias — Búzios e Perigoso — por terem águas mais calmas (apesar de risco de correnteza) e de acesso mais fácil, são as preferidas de quem se dispõe a fazer a caminhada, de cerca de 40 minutos até elas.

Contam os moradores da região que Perigoso não faz jus ao nome. Reza a lenda que a praia, de 150 metros de extensão de faixa de areia, passou a ser chamada assim porque teria sido rota de fuga de presos perigosos que escapavam do extinto presídio da Ilha Grande. Já Búzios praticamente não tem areia. É repleta de pedras, que podem formar pequenas piscinas, mas é preciso ter cuidado para não se ferir nos ouriços que ficam junto às rochas.

Ida de barco às praias custa a partir de R$ 30

O caminho ao paraíso começa na Rua Parlon Siqueira, uma ladeira íngreme, na Praia do Canto, em Barra de Guaratiba. No final dela está o primeiro trecho de trilha, com 1,5km de extensão, que leva a Búzios e a Perigoso, situadas exatamente aos pés da bela Pedra da Tartaruga (que vista de longe, parece o casco e a cabeça do animal). Além de banhistas, esse trecho da encosta atrai praticantes de rapel. A trilha não é perigosa, mas "marinheiros de primeira viagem" terão alguma dificuldade para fazer a descida até a areia, pois o cascalho e a inclinação do trajeto aumentam os riscos de escorregões.

Mas um alento para quem gostaria de conhecer esse trecho ainda preservado do litoral da cidade e não tem disposição para enfrentar caminhadas cansativas: barqueiros da Praia do Canto levam visitantes até as praias. O preço da viagem varia dependendo do tamanho da bagagem, da praia escolhida e dos horários de chegada e saída, mas costumam custar a partir de R$ 30, por pessoa. Os barcos também podem fazer passeios por elas, dependendo da condição do mar.

Praia do Meio, a maior e favorita dos surfistas

Quem deixa Perigoso e volta à trilha principal pode seguir mais 500 metros, num trajeto de cerca de meia hora, até a Praia do Meio, procurada principalmente por surfistas. É a maior das cinco, com quase 350 metros de extensão, segundo o guia "Praias cariocas", do Instituto Pereira Passos, que mapeia as 71 praias cariocas e destaca as cinco selvagens.

Nesse trecho da encosta, num nível mais alto que a Pedra da Tartaruga, fica a Pedra do Telégrafo, outro ponto com visão panorâmica. As praias seguintes, Funda e Inferno ficam, respectivamente a 300 e 500 metros após a do Meio. O caminho exige um pouco mais de disposição e não é indicado tentar ir de uma praia à outra pelas pedras junto ao mar. Voltar para a trilha é a maneira mais segura de continuar o passeio. A descida à Praia Funda (com 300 metros de faixa de areia), por exemplo, é feita por uma rocha, mas uma corda presa à pedra ajuda o visitante. Funda e Inferno são protegidas por paredões verdes.

— Faço rapidinho a trilha, mas quem não conhece pode levar até uma hora para chegar à Praia do Meio. Quando tenho mais tempo, gosto de surfar na Funda ou na do Inferno, que são mais distantes e mais desertas — conta o surfista Alan Pacheco, assíduo das três praias.

Apaixonado por esse trecho do litoral ainda intocado, Lúcio Alves, morador de Barra de Guaratiba, se diz preocupado com o aumento do turismo. Dono de um pequeno comércio no trecho final da Rua Parlon Siqueira, ele tem uma seleção de fotos panorâmicas para mostrar aos visitantes. É quando aproveita para pedir cuidados com o meio ambiente.

— Há pessoas que, antes da subida, fazem um lanche na porta da minha loja e quando vão embora deixam o lixo no chão. Se já fazem isso aqui, imagina na praia.

Na quarta-feira, a estudante Leandra Carvalho Alves, que mora em Vitória (ES), conheceu Perigoso, levada por um primo carioca, acostumado a acampar na praia, onde passaram o dia. Antes de irem embora, recolheram o lixo, mas quando isso não acontece, a tarefa fica a cargo do "guardião" da praia, conhecido entre os moradores de Barra de Guaratiba como "Silêncio". Trata-se de um homem que, há anos, vive sozinho num refúgio entre as pedras. Poucos sabem seu nome, mas é conhecido por zelar pelo patrimônio local. Na quarta-feira, quando a equipe do GLOBO foi a Perigoso, "Silêncio" não estava por lá.

— Não é fácil de chegar, mas todo o esforço é recompensado. Aqui é lindo, deserto e selvagem. Nem parece que estamos no Rio. É um lugar especial — derretia-se Leandra.

Ligações externas

  • Link com ótimas descrições (tem praias de outras cidades do estado): [2]
  • fonte: [3]
  • Fonte: [4]